Anúncio em site de compras vende negro a R$ 1; autor é identificado

sexta-feira 10 de janeiro de 2014

As informações serão encaminhadas ao Ministério Público e a Polícia Civil do Rio de Janeiro, que investigarão o caso.

Uma postagem no último final de semana no site Mercado Livre anunciava a venda de negros por R$ 1. Após denúncia, a Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, do governo federal, e o site conseguiram identificar o autor da publicação.

As informações serão encaminhadas ao Ministério Público e a Polícia Civil do Rio de Janeiro, que investigarão o caso.

Em nota, a secretaria disse que o autor pode ter como pena de dois a cinco anos de prisão, além de multa, para quem praticar, induzir ou incitar a discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional.

"É inconcebível e inaceitável a tentativa de desumanização da população negra, enquadrando seus indivíduos como mercadoria e remetendo os mesmos de volta à escravidão", diz Carlos Alberto de Souza e Silva Junior, ouvidor da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial.

Segundo a secretaria, não haverá punições ao Mercado Livre. Em nota, o site de vendas afirmou que repudia o anúncio. "O Mercado Livre informa que entregou, após notificação oficial, os dados cadastrais e de acesso do usuário anunciante às autoridades competentes para que o autor seja investigado. O anúncio foi retirado do ar na segunda-feira, dia 6, assim que denunciado pelos próprios usuários do site", diz o site.

Fonte: Folha

apoio Apoio da Fundação Ford

Créditos | Admin